Resumão de novembro - Parte II

E como falei na publicação anterior, passei praticamente o mês de novembro inteiro sem notebook, por isso estou fazendo um resumo do que rolou nas passarinhadas aqui no extremo sul. Estou fazendo um relato bem resumido, pois como foram várias saídas no mês, a postagem acabaria ficando muito grande e de certa forma, tornando a leitura cansativa.
Então vamos dar continuidade aos "mini-relatos" referentes ao mês de novembro...
No dia 19, num domingo ensolarado, resolvi pegar minha bicicleta e dar uma volta. Dessa vez levei meu material fotográfico e fui até o campus da UFPEL (Universidade Federal de Pelotas), localizado no município de Capão do Leão. A pedalada ultrapassou os 30km e consegui fazer bons registros. Lembro que naquele dia ventava bastante, impossibilitando que eu fizesse gravações das aves que vocalizavam. Abaixo, alguns dos meus registros por lá:

peitica (Empidonomus varius)

pica-pau-verde-barrado (Colaptes melanochloros)

pombo-doméstico (Columba livia)
Naquele dia, fiz 4 listas no eBird, confiram elas nos links abaixo:
Lista 1: http://ebird.org/ebird/view/checklist/S40597518.

No dia seguinte, já era passado o meio da tarde quando resolvi pegar a bicicleta e acompanhado do meu amigo Vitor, pedalamos cerca de 40km (ida e volta) pra registrar a bicharada no Banhado da Marambaia. Dessa vez me surpreendi com a quantidade de aves que encontrei, 83 espécies em pouco mais de 2 horas de observação. Naquele dia consegui observar praticamente todas aves da família Anatidae que por lá habitam. A Marambaia tem um ambiente propício para encontrar praticamente todas as aves aquáticas da região e é bem pertinho de Pelotas, passando cerca de 6km da ponte que faz divisa com o município de Rio Grande. Como fui de bicicleta, consegui fazer um registro do Canal São Gonçalo e todo ambiente úmido em sua margem.

Canal São Gonçalo visto de cima da ponte.
Minha bicicleta, companheira inseparável no dia-a-dia.
andorinha-de-sobre-branco (Tachycineta leucorrhoa)

encontro (Icterus pyrrhopterus)

garça-vaqueira (Bubulcus ibis)
Lista de espécies encontradas na Marambaia: http://ebird.org/ebird/view/checklist/S40626508.

E pra finalizar os relatos desse mês, a última saída foi no dia 26, quando fui mais uma vez no município de Arroio do Padre, na companhia do Cláudio Jorge. Estávamos prevendo uma grande passarinhada, mas infelizmente o tempo (mais uma vez) não colaborou. É a segunda vez que vou até lá e chove. Para ler o relato da primeira ida até aquele local, acesse o link: http://raphaelkurzbirding.blogspot.com.br/2017/09/arroio-do-padre-e-suas-preciosidades.html.
Mas como não somos de açúcar, descemos do carro e fomos atrás da bicharada. Meu objetivo naquela manhã, seria registrar a tovaca-campainha (Chamaeza campanisona) que encontramos da outra vez e não consegui registro. E se possível, melhorar meu registro do gavião-miúdo (Accipiter striatus), outra ave que até então, tem local fixo na localidade. Infelizmente não consegui exito em nenhuma das duas "missões". Mas o Cláudio sim, ele conseguiu uma boa foto da tovaca e de brinde registrou o pavó (Pyroderus scutatus), fazendo seu segundo lifer no dia. A chuva deu uma trégua em certa parte da manhã, geralmente a bicharada fica alucinada quando para de bater água, mas dessa vez não nos deram chance pra boas fotos, tirando um casal de borralhara-assobiadora (Mackenziaena leachii) que consegui registrar, enquanto o Cláudio estava na trilha da mata travando sua batalha épica com a tovaca. Por sorte, dessa vez ele venceu e eu também consegui o que considero, um bom registro da borralhara fêmea.
Já nos aproximávamos das 10h da manhã quando pegamos o rumo de volta à Pelotas, comendo ambrosia e tomando café. Ao menos a comida tinha que ser boa, já que a passarinhada não havia sido "das melhores". No caminho de volta, o Cláudio resolveu entrar numas estradas que não conhecíamos. Até que paramos na beira da estrada e escutamos um provável casal de aracuã-escamoso (Ortalis squamata) vocalizando próximo a uma ponte. Como era lifer sonoro para nós dois, descemos do carro e tentamos gravar a vocalização, mas infelizmente não conseguimos, porque as aves se silenciaram. Nessa oportunidade, consegui fazer um bom registro da mariquita (Setophaga pitiayumi).

borralhara-assobiadora (Mackenziaena leachii)

mariquita (Setophaga pitiayumi)

Enfim, de forma muito sucinta, termino meus relatos desse mês de dezembro. Mas pensam que acabou a postagem? Obvio que não!! Nos dias 11 e 12 desse mês, aconteceu em Porto Alegre, o Avistchê. Evento que reuniu uma boa parte dos observadores de aves do estado do Rio Grande do Sul. Infelizmente eu não me fiz presente, mas pelo feedback do pessoal que por lá estava, o evento foi um sucesso. Com palestras com conteúdo muito importante pro birdwatching do RS.
Mas quero falar sobre o concurso de fotos que rolou por lá e que felizmente e inesperadamente, acabei ganhando com uma das minhas fotos prediletas, que é da noivinha-de-rabo-preto (Xolmis dominicanus).
Lembro que fiz essa foto na companhia do meu grande amigo Caio Belleza, do município de Bagé e conhecido no birdwatching gaúcho. A foto foi tirada no município de Dom Pedrito. Lembro que no dia fomos atrás da veste-amarela (Xanthopsar flavus), espécie que era e ainda é lifer pra mim.
Já era final da tarde quando registrei a ave. Posso afirmar que a luz estava perfeita e minutos antes do registro, eu disse pro Caio que iria conseguir registrar a noivinha em cima das flores. Me posicionei e peguei o playback e tentei atrair o casal que estava voando ali por perto. Pra minha surpresa (nunca imaginei que respondessem ao playback, visto que a vocalização é quase inaudível), a ave se aproximou e começou a chegar cada vez mais perto. Nesse momento, o Caio estava na camionete me esperando... Alguns minutos depois, adivinhem? A ave pousou exatamente onde eu esperei que ela pousasse. Aí foi só alegria!! A luz estava muito boa e a ave ficou mais de 1 minuto à poucos metros de mim, exibindo a beleza de uma das aves mais ameaçadas de extinção no nosso estado. Consegui fazer até um bom vídeo do momento, mas ainda não publiquei no YouTube.
Abaixo vai a foto que tirei no dia:

A famosa noivinha-de-rabo-preto (Xolmis dominicanus).
Fiquei muito feliz quando soube o resultado e que eu havia sido o vencedor, ainda mais que essa notícia veio do Caio, que assim que chegou do evento, me chamou no WhatsApp e me contou.
O que ganhei sendo o "campeão"? Ganhei uma saída com todas despesas pagas pelo COA-POA (Clube dos Observadores de Aves de Porto Alegre) no ano de 2018. Provavelmente eu escolha ir com eles até o Parque do Espinilho, em Barra do Quaraí, ou pro Parque do Turvo em Derrubadas. Uma escolha difícil, mas por enquanto não vou me deter nisso.

Então, assim foi o meu mês de novembro... Muito birdwatching, várias fotos, nenhum lifer (mas isso não importa), muitas risadas nas saídas e de quebra, um prêmio num concurso fantástico!!
Que dezembro seja um mês ao menos 1/3 parecido com esse mês de novembro!!


Até mais pessoal!

Comentários

  1. Primeiramente queria te parabenizar pelo prêmio que sua foto incrível recebeu e em segundo pelo relato. Gostei da descrição que fizeste sobre o momento do click da foto premiada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Alexandre, obrigado pelo comentário meu amigo!! Em breve, espero estar aí numa passarinhada com vocês!! Abração

      Excluir

Postar um comentário

Trending

Pelos quatro cantos de Rio Grande

Surpresas no Banhado da Marambaia

Explorando a colônia na zona sul